Wednesday, 18 October 2017

No reino das cinzas .. (post idioms: EN / PT)

Post idioms: EN / PT


                                                                                                                Image credits - from here LINK



I don't have the heart to share work made yesterday and today as I tried to liberate my thoughts and feelings on paper and canvass (it's hard for me at the momment to look at them, or share) ,
so I leave an image, the one above, along with another (below), one that is so very tender and dear, for some rays of hope..



(nothing more).



However, before placing Smokey ( ♥ beloved Smokey) ,  I leave for those here in the land (in PT, and written in our idiom) in case any should wish to read and perhaps even undersign, as I have, a written appeal by accessing the following link (below, in bright yellow).





    
 











Falham-me as palavras, como ainda acontecerá com muitos, creio, e está a ser-me difícil empregar a nossa língua, na escrita.. (como se o idioma se tivesse dizimado no meio das chamas).

Apenas escrevo para dar relevo ao apelo (que se pode aceder de forma directa, na ligação acima), que apanhei através da ''Liga Amigos Jardim Botânico de Lisboa'' (aqui).
Foi na verdade o que me motivou aqui vir e publicar algo neste espaço, apesar de ainda atordoada, como tantos com os recentes acontecimentos que parecem ainda queimar a alma (só de pensar..). Está aqui para o poderem ler e, caso concordarem com o seu conteúdo, o subscrever.
Tudo o resto, a dedicação dos veterinários no terreno (aqui), o esforço indescritível dos ''Soldados da Paz'' (os bombeiros) ou quem lhes tenta acudir, ou dar apoio, enquanto enfrentam o que medonho é e tentam salvar..
.....(e por vezes a que custo, não é? Mas ah, o que dizer do esforço que nunca se consegue agradecer de forma minimamente capaz?) , fica sempre um grande défice - através das palavras, o que vai na alma. (não é verdade?)..
  


Não consigo de momento sintetizar que chegue o resto que teria a dizer, mas está aqui, a fermentar..
(e neste momento, não me sinto minimamente capaz, confesso, pelo menos que fosse de alguma forma algo de constructivo, de dizer mais).




Educar, o que ou quem não está educado
Sensibilizar, o que ou quem não está sensibilizado
Responsabilizar, o que ou quem não está responsabilizado
Cuidar, o que ou quem não recebe o cuidar necessário
Não sufocar, nas cinzas e no mal dizer por mal dizer

(acho que é um verso, ..talvez uma prece, ou um verso em forma de prece (talvez, sim), mas não sei, e também não importa, até pode ser um quadro na sombra de cada tronco nu e queimado - doutro)












_____________________________________________________________________________________



Image credits - from here LINK

























Too many of us have had flames ravaging everything in their path and far too close, but, even those further away from home shocks and scares the living crap out of one no less.
(and among many things, it's heartbreaking)

    



__________
Goodnight
(and take care)

Tuesday, 15 August 2017

Jazz am Rhein 2017 - August 18 through 20 (International Jazz Festival @ Ludwigshafen am Rhein - Germany)






If you have the chance, by all means do not miss the opportunity to see this special event, this year marking the piano master - Richie Beirach's 70th birthday celebration (his having turned 70 last May).

It promises to be an absolutely magical event, counting on the awe-inspiring talent of the master himself and those close to him.
Joining him on stage shall be Jazz legend - David Leibman (old freind and spellbinding accomplice)













Also performing shall be The New Richie Beirach Trio that have just released the breathtaking álbum ''Gaia''.


(below is a short demo of that recording)






Recorded live, below is the Trio with one of the pieces from the álbum and in this case they were joined by Tobias Frohnhöfer who shall also be in attendance (as well as a number of other talented musicians)






LINK   - to the event

LINK to the event Schedule with the line up of concerts and each day's perfomaces' own event + details (available via the Festival's FB page)  









(below is a *Gaia-side view of a painted trio - Oh yes, I was going to write *seaside, but, some seas are metaphors for others .. and ...)
© GA



                                                                                                                           









For those who shall have the good fortune to catch this happy chain of concerts, eventhough you shan't be in want of anything to add to the enchantment of each date - may the Perseids that are currently still showering our spinning blue ship as is sails around the universe, tagging along with all it's sister ships in our mothership's Solar Fleet, bring extra blessings each day and night.








Monday, 7 August 2017

Um espelho

É de ler.. (e ler bem, pelo espelho que nos dá da sociedade que se construiu e se constrói)


Nem mais nada digo, aqui nesta publicação (até porque não tenho nada que sinta que possa merecer atenção ou de relevo a dizer, ou a acrescentar, pelo menos para já),
apenas vos deixo a ligação
- para um admirável artigo (na minha opinião, isto é), na Estátua de Sal, que nos traz o excelente pensar e raciocínio de quem a fonte cita).











imagem:  Robert Doisneau. | ''El Infierno''. Paris 1952.


Wednesday, 2 August 2017

A antiga arte...

(ironicamente^) O *neo-absolutismo ¹ (ou até mesmo, havendo, o *neo-integralismo ²), que é algo que para além de pertencer à actualidade,  
(parece-me) se poderá definir, por um lado, por se estender de forma extraterritorial (embora não necessariamente de forma exhaustiva, a todos), e por outro,
pelo facto de não ser de natureza nacionalista ³
com o sentido que lhe será inerente de ''nação'' existente até as primeiras décadas do início do século XX, e é algo que agora, e mais que nunca, que se escancara e o faz de uma forma tão gritante - que ferirá os sentidos de qualquer um não se lhe o ver como sendo uma coisa obvia.    

Eis que ontem, através de um amigo (o Carlos)  vi uma notícia que não só me surpreendeu pela dimensão que agora vejo na natureza totalitária 
da coisa (deste dito *neo-absolutismo), própria de ditaduras que dantes ocorriam num mundo pensado e que se  pensa (ainda),  dividido como dantes -
pelo menos desde cerca de meados do século XVIII e atravessando até - vá lá, digamos que até finais da segunda grande guerra, no século xx, e que agora age assim (nestes moldes),
como pela forma que utiliza ferramentas que outrora pertenciam às ditaduras nascidas dos ditos nacionalismos de outrora (ou seja, neste caso - o controle de informação e/ou acesso à mesma).
Está aqui a ligação (LINK da notícia.  (é de ler, mesmo)








 Ironicamente (e isto dito por alguém pouco amiga de 'nacionalismos' quer pelos productos deles nascidos nas artes
(em termos de estética, pois dificilmente me atingem o suficiente para ''mexerem'' comigo - embora
haja excepções, e, porque no entanto também goste de dar valor (e o sentir - quando conseguem assim me atingir) 
ao que de cada terra seja importante para quem dela seja ou a que se sinta pertencer - porque também terá a sua beleza..,
mas isto seria um assunto longo, mesmo que fosse para um artigo inteiro, quanto mais para estar entre
parêntesis,
que para mais estando estes (parêntesis) - entre outros),                                          
quer pelas ideologias habituais neles contidos)
- dizia que, ironicamente.. 
ou não,
o dito movimento (chamemo-lo assim) *neo-absolutista, embora tenha como pano de fundo um de *internacionalismo  (coisa que como sabemos ocorre periodicamente, tal como o que lhe tem sido a reacção, ou, como um outro movimento pendular - o do nacionalismo)  é algo me parece ser como um fruto que começa a ver a luz do dia no nosso mundo do *pós-muro-de-Berlim , e que desde esse tal finalizar da Guerra Fria se tem alimentado até aos nossos dias até obter a actual dimensão que tem; como se alimentado por vários galhos de uma grande arvore - uma arvore da Humanidade  (presente)
◄ (fruto agora já bem fora do prazo do crescimento, e já tão maduro que se instala a fase de se ter ultrapassado a própria época em que o dito alimentasse fosse quem fosse que lhe moldara (o gerara, e/ou - o gerisse) e que nos últimos tempos apenas se tem desunhado para que o mesmo se perpetue como  formula, para que se alimente),
e que está a cair de maduro.
(Bom, convenhamos, nos dias que correm, quanto à palavra ''maduro'', é difícil não se cair nela e..,)




via GIPHY


(ia colocar outro ficheiro ''gif'', de tipos de movimento pendular, mas, resfriei-me nos meus gostos (LINK - de um que não colocarei) - para assim tentar manter o ''tom'' desta publicação neste blogue)





 ___________________
Ou seja, já estará patente a fase de apodrecimento e decrepitude do dito -  e por isso já se podendo combater por tão visível estar, como outrora o era o grande mal que nascera / amadurecera e / apodrecera até cair - dos *nacionalismos  que houve  e que estavam na mó de cima em outros tempos mas que caíram  (alguns desses) - aquando se iniciara a já mencionada Guerra Fria, outros durante a mesma

Ele é (este *neo-absolutismo) algo que nos traz a reacção que se tem traduzido em tanto local, em certo aspecto, em movimentos de  *neo-nacionalismos (claro), e que, como de resto o sempre tem sido - é um tipo de caminho que para alguns lhes será mais natural como resposta aquando  momentos da decrepitude das épocas onde o auge de algo mais «internacioalista», como molde, ocorra (como se vê ao longo da História das várias artes - e que se espelha quando ocorre tal como os períodos de nacionalismo, assim como o desgaste de ambos nos períodos de transição). 

Ele é algo que está agora a dar espaço, através de certo tipo de podridão (e de desgaste) para combate por agora ser tão visível as suas frentes de imposição de poder. 





Tem havido, pelos vistos, estas tais forças de ''molde'' social que se intercalam embora se sobreponham um pouco, um ao outro: um sendo o movimento que fecha (levanta fronteiras), de nacionalismos de ordem vária e de vários tipos, e o outro que abre (com os que serão o contrario disso, portanto - o já mencionado «internacionalismo» onde as fronteiras se abatem e/ou se desejam abater, ou melhor, pouco elas nos dirão - nessas alturas).
Ciclicamente, um ou outro salta com maior força que o outro para a ribalta - ambos sempre presentes como dinâmica social, atingindo os seus auges e passando por períodos de desgaste de forma intercalada, ao longo dos tempos (não sei se apenas como reacções um ao outro), e que se têm reflectido como - e com registos, nem que seja (e por exemplo) nas várias Artes;  
como se as nossas sociedades fossem ioiôs, ou ondulação do vértice do Tempo como linha cartesiana (linha não, visualizo antes a coisa como um plano - um mar da espécie com vagas e ondulações),
ou pêndulos -  da Humanidade.



Como se combate agora as nocivas ferramentas que dantes eram arma do nacionalismo de estado e que agora o são (de forma igualmente feroz e eficaz) do internacionalismo *extra-estatal, que se veste e é - um novo absolutismo (o absolutismo que dantes pertencia ao que se sabe, e aos que se sabe, em cada era da nossa Historia)? 

Do nacionalismo, pode se esperar que não seja (mais cedo ou mais tarde) absolutista?

E agora, este novo  tipo de «internacionalismo» que tem e exerce poder (de verdade), alguma vez se irá despir do absolutismo que nele agora mora?


(hmmmmmmmm...)



























________________________________

Text key: #1 - 6
 ¹ - LINK
 ² - LINK
  (ou - para a sua possivel vertente, agora, de *neo -) LINK
 ³ - LINK
(sim, esta ligação ''3'' é da wikipedia, E daí? serve, não?)
  - LINK
(e pode-se ver facilmente nas artes, como por exemplo em épocas diversas ao longo da História da música, ou das outras - tanto  o *internacionalismo, como o nacionalismo (que coexistiam embora um ou outro ficasse mais notório, conforme a era)
  - LINK
 ⁶ - LINK
LINK
 (LINK / and also others of today - LINK)


Tuesday, 1 August 2017

Noam Chomsky (a recent interview)

I know I've placed Mr. Chomsky a couple of times before, but, I feel these recent words of his to convey far better than I ever could certain things that have been on many of our minds as of late (whether ''mainstream'' media likes it or not).
I shall, therefore, just leave us with the following interview. Some of the issues are of course more pertinent to those who live in the US, nevertheless, so much of what he says merits reflection on the part of so many (any one of us) outside said country, as well, in my opinion.






By the way, the fact that so much of our mainstream media seems to be so hysterically hyped as it reacts to present-day Venezuela, is starting to make me think that they must be doing something right (in Venezuela, that is.. and regardless or despite of what I may think of their current leader, as a person, for it is a Venezuelan affair). Why is it that any of the Latin American countries not being under NATO's feet (as a mat), or others for that matter - seems to get their (the media's) panties tied up in a bunch like this, I wonder?

I'm sure it has nothing to do with their having or wishing to have control over their own natural resources (hmmmm..., East Timor comes to mind - with those strange «coup d'etat» events back in 2006 or 2008, among the other usual examples when one thinks on this matter, no? ) .




(yes, a person doesn't even need to stick to the middle east to see certain things, it seems.. How sad this is, when we think of how supposedly all of us are lead to believe we should be happy with all those hopes, and promises, to finally become free from so much dependence on certain types of finite ''energy sources'', but that's probably beside the point, hmmmmmm...)


(oh yes, how I love to be brainwashed by all this easy-made media hype, where one is always told how ''Mr Syria'' is so terrible and ''Mr Saudi Arabia'' is so cute and fluffy, for instance, or any of the BRICKs (or conveniently neighbouring countries) - do this or that, or how good it is for this or that place to be full of investment in solar energy and yet... )


...and yes, I'm wondering also as to - what ever happened to ''freedom of the Press''? - among other things, but alas, that appears to be old news...


And just to ''play fair'' I won't leave out the continuous Athabaskan saga - in Canada, or Norway's  wish to drill the heck out of the Arctic.. Did I leave out POrtugal?
(as Poirot would say ''Please to forgive me'')
LINK 
(I hope that this nonsense doesn't get us ''bombed to smithereens, among other things that is)
But our newscasts seem to only be interested if Ronaldo has burped his child, or weaned a calf, or anything like that. It's either that or turn themselves into some kind of gory game show where a TV host puts up placards to pin the names on who was or was not in fact burnt to a crisp in this or that fire... Yes, they can be so tasteful, can't they?)





_________________________________________________________

 I might not seem at this precise moment to be in a good mood,  but do not get me wrong, sometimes just by simply losing track of time on a Saturday , even when decompression makes oneself blunder a bit - can make a two month holiday at a Jamaican Spa or in Monet's gardens (or a mix of both) seem small by comparison. So, I hope that the sun and the evening stars shine bright and sweetly for you, no matter  how stormy or  iffy the horizon may seem, as they did for me yesterday
(wait, we're in August already. It was the day before... :),
   I'm still under that Saturday spell)
  



Monday, 31 July 2017

Chatinhos, irra (apre, arre, ...)

Nunca entendi a razão ou a sensatez que leva alguns seres acharem, para mais numa época onde o flagelo das chamas é tão dramático, 
tanto rebentar de petardos e fogo de artificio em tudo que é lugarejo e terriola. 
- nem vejo o interesse que possa ter -




image crtedits:  LINK
  

Jeanne Moreau


(the image below comes from a FB page ► (MILES DAVIS FOREVER)







I don't even know how long ago it was that I first saw this film, but, it was due to of one of my favourite soundtracks (l'ascenseur pour l'échafaud) that I first encountered one of the many cinematic treasures in  French Cinema, many of which with

the gifted actress - Jeanne Moreau..
(born: Paris, 23 January 1928)


It is sad to see her leave us, at any age.



Stalker - Andrei Tarkovsky (trailer for 2017 new restoration of the masterpiece)




  It's been a while since I've had a chance to write in this blog but, with the excuse of this amazing  Tarkovsky masterpiece's new restoration finally being complete (soon to be available), I resume posts.


Hope all are having a wholesome and safe summer
(take care ♥ )

Wednesday, 28 June 2017

Joaquim Pedro

Parte um doce amigo de sorriso solar e terno olhar, e custa acreditar.

Uma pessoa, aqueles momentos depois de ultrapassar o choque da notícia começa logo a pensar que - se é difícil encaixar partir o amigo, e claro que o é, o será ainda mais para quem lhe iluminava os olhos da forma mais bela.

Por isso
um forte abraço aqui fica, à família, e aos outros amigos também.
(que raio, mas como pode isto ser, Joaquim, como? Um beijo na tua alma, querido amigo)












_____________________
O velório foi hoje,
Amanha o despedir.

















Os anjos precisavam de um engenheiro de som, Joaquim Pedro, é isso?
Não podiam esperar mais um pouco?
Uns ursinhos, mas é, nesse coro celestial,