Monday, 24 December 2012

Natal 2012 (Christmas 2012)

I hope your's is a tender one, full of loving grace.
This year for the holiday I'm very pleased to leave you with a special note, a video.
I also hope the year ahead brings with it some of what Mankind's best have to offer, their humanity.


Obrigada, Bernardo, por este lindo presente de natal!
Bem hajas




Voz (vocals) - Isabel Mesquita
Piano - Bernardo Freire d'Cruz







________________







We must strive to help the fallen and the week, we must comfort the downtrodden, we must make our "humanity" survive - lest we become shadows of a crooked inexistence


 fotografia (photograph) - G. Almeida


Man is a social animal - bring forth solidarity!








*On some positions, cowardice asks the question, is it expedient? And then expedience comes along and asks the question, is it politic? Vanity asks the question, is it popular? Conscience asks the question, is it right?

There comes a time when one must take the position that is neither safe nor politic nor popular, but he must do it because conscience tells him it is right.* 

                                                      ― Martin Luther King Jr.  

(picture taken from this article - LINK)

Thursday, 22 November 2012

Longitude Zero - November 29 - final concert (29 de Novembro, última actuação)





Como alguns já sabiam, estava agendada uma actuação
«Longitude Zero Menos 4», um dueto,
nos Duetos da Sé (em Alfama/Lisboa) para o dia 29 deste mês.  


Foi alterado para passar a ser um concerto/reunião,  do grupo mais "alargado",
LONGITUDE  ZERO (será esta a sua última apresentação).

Tendo este sido ao longo dos anos um conjunto que, para além da música, foi e é pautado por laços de grande amizade, decidiu-se estender o nosso tamanho para assim tentar englobar elementos dos vários conjuntos musicais, teatrais e/ou de arte cinematográfica, bem como outros cujas vidas se cruzaram por um motivo ou outro com Carlos Azevedo e que lhe eram importantes.  

Muitos foram os músicos (e não músicos) marcados por ele, pela sua vitalidade, humor,  inconformismo, e pela enorme criatividade que ora se exprimia pelas harmonias invulgares de grande beleza arrebatadora e de  lirismo melódico, ora se exprimia pelo traço e pela palavra.  Um "Príncipe das Artes", como diz José Corisco
(AQUI - para quem tiver Facebook), e bem.

Ao longo dos tempos muitos foram os que partilharam com ele um palco, aquele estrado que se encontra em quaisquer teatros e  clubes de música ao vivo, assim como o palco da vida.   Muitas são as histórias a partilhar e regozijar  pelo facto de as termos vivido a seu lado.
Temos todos assim este elo comum, e ao estarmos juntos, mesmo que possamos não nos aperceber disto, esse elo estará presente;  assim como estará certamente na sua música, nos seus incríveis desenhos, nos textos e nas inúmeras frases (escritas ou orais)  que tanto gozo dá recordar.

Por este motivo, nesta actuação "especial", o grupo atinge o seu tamanho máximo (e último) devido a uma "ausência" sentida por todos.

É a nossa última actuação e será, esperemos, uma forma especial de a fazer, em que todos irão partilhar o "palco sonoro" no serão do dia 29, e independentemente de terem como profissão a música, ou não.

Não se irá cobrar a habitual entrada, não havendo assim quaisquer remunerações para quem estiver neste "evento", a participar, ou para a casa - (Duetos da Sé)

Este artigo é escrito principalmente para avisar quem já confirmou poder participar, ou os que esses mesmos se lembrarem de avisar, e assim para  alertar que é já de hoje a uma semana. O evento é público e aberto a todos os que nos quiserem ver, ou partilhar o momento connosco.  São naturalmente todos bem-vindos. 



As artes, ou melhor, a ARTE é para, e de todos.  É para ser vivida, partilhada e  sentida no âmago de nosso Ser de forma a acordar-nos para a vida. Para nos fazer "vibrar" e gozar a vida, nas mágoas, nas aprendizagens, na transformação e na alegria.  Não é (parece-me) por acaso que se ataca nas 'artes' quando se quer manipular e/ou para controlar
as massas
as massas
 e as massas.



Estas "crises" nunca são apenas financeiras e não se dão nada bem com o estar-se "desperto" para a vida. 
É através da arte, assim como esses laços de amor que nos unem (quer sejam eles por "pessoas" ou pelo "colectivo") que se consegue sentir na alma estarmos vivos. 

 «Abaixo a Morte», nas suas formas várias,  e os Seus caminhos. 
Ela, a Morte, só nos apanha de verdade quando ficamos formatados; sem reacção perante o Outro, perante aquilo que nos cerca, perante o tempo que nunca pára,  perante o que nos rodeia, nos espelha, nos faz mexer o espírito e a emoção. 
Abaixo a morte!



 - Nota pessoal - BOLAS!!!!!!!
Ora bolas, Carlos! Mas o que é que tu fazeste???!!!!!!!



















Para disparates sei que não tinhas feitiu', muito menos vontade, mas bolas, levaram-te.....
e tu deixaste :(  
Quanto te vir da proxima vez vais ouvir das boas,
ah vais, vais.


















(e agora 
que vou eu fazer .......sem ti..



Tuesday, 16 October 2012

Bluff, bluff, bluff + more bluff (Thank God) | ora se fossem brincar com as suas próprias...

Definitely worth watching to the end.
I have nothing to add to what they say except for one minor detail:
- what is it with corporate media & their owners??
Could it be that they are soooooooooo tied in with arms dealers that they do and profess as they do?

I tell you they are a cancer on mankind.  I have nothing further to add.
(Thank you for reading)




A capacidade em mentir e manipular de certo tipo de gente, que nem fronteira (fronteira de especie alguma, física, moral, geográfica ou outra qualquer) nem escrúpulo algum, ínfimo que seja, tem, é monstruosa e real.   Estou tão farta deles, tão farta desde a época Thatcher/Reagan (por nossas terras traduziria por alturas "Cavacais" ligeiramente posteriores embora agentes através da AD no início dessa década já andassem a fazer das suas..) tão fartinha e cansada estou que por vezes fico menos humana, os estupores conseguem isso, e com sentimentos pouco "cristão-budisto-musulmanos", o que de momento é tão difícil conseguir, mesmo que seja por instantes, (pois ando transformada, com entre os cerca de 15 a vinte anos.., num estado que..,  já nem sei bem o que faço, onde me meter,  coro, e já nem estou aqui ...enfim, adiante).
 Aquela merda que eles no seu íntimo e seus propósitos, esses donos dos média corporativos, têm na alma fede, e espalha veneno.. É preciso por vezes dizer 'coisas' para assim tentar purgar o mal estar que espalham.  São um nojo, um cancro na humanidade.

(é mais que óbvio, para mim, que tais negócios de informação, e manipulação da mesma, têm um "casamento" celebrado no altar do demo, com o trafego e/ou venda de armas)




Vale a pena ouvir este video até ao fim.  Caso alguém tenha dificuldade com algum termo nele falado terei todo o gosto, dentro de minhas possibilidades, em  ajudar (infelizmente não tem legendas, mas não é longo e a linguagem parece-me ser acessível)    












E saio, pois estou fora,  estou em pulgas para chegar, ver o quem o que  (ver quem) me  espera.. (que estou com a cabeça, com alma, noutro lado)

-  Ficam os votos de um bom resto de semana a todos 






I further the point that children when playing are happy because they are what they are - children.
It's supposed to be that way.
One thing is to let them play no matter the nature of the game, to keep them momentarily "happy" yet another is to be attentive and care about what lays ahead in their future.  I may know very little but one thing seems certain to me:

- Not being a fundamentalist in terms of children's games, I don't get upset when caught in the crossfire between water-guns, snow fights or such once in a while upon occasion. (I don't want to brag but I can throw a pretty mean snowball..)
   A child playing as can be seen in the first image below may seem just as happy as the one in the second nevertheless I'm pretty sure of the likelyhood of that second child becoming a far happier adult  (and by far more well adjusted) if these are samples of the basis of their having fun.   The type of game & play most prevalent in their lives is as is well known, very important.


We need to think of our children, the world we give them, and what "We" give the world upon rearing them as we do.
When I say "we" I obviously mean parents or guardians for the most part but I also add that babysitter many use and have used in the past - the TV.  (or radio et cetera)



Wishing all a nice week - take care.



(Pois,
há brincadeiras e há brincadeiras..)   






(O que está aqui acima, em inglês, não passa de um pequeno apontamento,
e por isso mesmo provavelmente fica assim, sem "auto-tradução") 






autoria da imagem acima - AQUI | LINK - to view the author & copyrights of the above image







 retirei a imagem acima - dAQUI | LINK - where I found the above image





Monday, 8 October 2012

Concerto - Guida Costa (voz e trombone de varas), Rodrigo Santoanastácio (guitarra) - Sábado, dia 13 de Outubro



Concerto :  "O repertório da Graça"
(cartaz de Graça Pereira ►creado por João Paulo Pita )





 fotografia de Nieves Ortega Rodriguez









                                                     












fotografia de G. Almeida



 

                                                                    fotografia de Carlo Martins


















(fotografia de G. Almeida)
   






 fotografia de Isabel Victor

fotografia de João Paulo D. Silva







Sendo o dia 13 de Outubro um dia de luta pela "Cultura", e contra estas políticas desumanas de  austeridades impostas, em vários pontos do país, desejamos o maior êxito à mensagem que se quer dar neste dia.  Somos solidários e embora não sejamos representantes, nem façamos parte de nenhum grupo que esteja a organizar este dia de luta, saudamos a iniciativa.  
Por isso, hoje, decidimos incorporar neste reportório que será principalmente composto de versões muito próprias de alguns 'standards' de jazz e blues, assim
como algumas coisas mais ousadas.. um repertório dedicado a Graça Pereira, iremos a título simbólico, 
e, desejando que de uma vez por todas acabar com aquela ideia do ► "ah, eles são os Artistas.  eles dão-nos a Cultura" .. para ser antes um ► "nós, todos nós, independentemente de se trabalhar com as Artes ou não, é que damos a Cultura - *Cultura* mesmo num sentido lato do termo",
 - incorporar um ponto deste evento acima referido, onde todos que estivermos neste local, em Ponte Sôr, poderemos mostrar a nossa voz colectiva pela Cultura, pela luta anti-austeridade, e pela  dignidade humana.
 





(uma versão de►  e de   do
nosso saudoso Zeca Afonso; homem da "nossa cultura" colectiva cujo simbolismo e "exemplo" não podiam ser mais que actuais nos dias que correm.) 





Desejando a todos uma boa semana repito o que muitos de nós dizemos:

 QUE SE LIXE A TROIKA!!!





Deixo aqui também, para quem tiver curiosidade em ouvir o género musical mais habitual deste dueto, os seguintes vídeos (com cerca de 5 min.)   (com cerca de 9 min.)  

   Queria muito incluir aqui algo exemplificando os excelentes dotes artísticos do guitarrista acima mencionado.  Vos garanto que vale mesmo muito a pena ouvir.  Espero em breve colmatar esta lacuna imperdoável.







- dedicado a Graça Pereira pela celebração da passagem do dia 13 para o dia 14 deste mês.  






Sunday, 7 October 2012

Max Keiser & a Cab ride + a note in Portuguese regarding our National Holiday





oh yes - "they need to be loved.. they need love.."


(now seriously - this is an excelent cab ride and definitely worthwhile watching.)




LOVE LOVE LOVE







« aL iuNilde Islave, lave, lavis aliu nilde. »


Há cinco anos que andamos a ser ludibriados sem o mais pequeno semblante de pudor, com todo o apoio dos governantes "marretas" que estão sempre felizes e prontos a fazer o lhes é pedido, ofertando o que não lhes pertence, dormindo confortavelmente enquanto impõem miséria, doença e fome na população - Têm de ser presos.  

Já agora, muito gostava eu de saber onde os meninos do PS têm o pouco que lhes resta de vergonha na cara.  Com que desculpa farrapada virão este bando de interesseiros quando mais uma vez, esta semana chumbaram as moções de censura.  15 de Setembro (a maior concentração de gente desde 1974), até sexta-feira passada com a promessa de continuar, com tudo e todos a gritar par acabar com este governo que jaz morto.., e eles, estes farsolas, fazendo de conta que são oposição, mais uma vez dão precioso auxílio ao executivo de Passos Coelho.  
E vem mais uma vez a pergunta (uffff repetida "n" vezes)
Precisamente onde está a OPOSIÇÃO feita por estes fulanos? Onde??!  

Como podiam estes senhores ouvir das bancadas as moções feitas, como todos puderam ouvir em directo (se quisessem) e não votar?
 Já em Junho passado não o fizeram, e nós desde então quanto mais na miséria ficámos?? Bandalhos!!
Brincam estes senhores, e brincam muito.  Não menos que os que governam (PSD/CDS)
Isto é próprio de gente que não presta, sem escrúpulos, ou no mínimo - inconscientes.

Uma aposta que aguardam uns tempinhos, para ver se ninguém se lembra.. para fazem eles uma moçãosinha (após António Costa, ou assim, tomarem o lugar do sósia de Passos Coelho - o Sr. Seguro; 
o Sr. Costa que prontamente fez aquele magnífico pedido de desculpa pelo "sinal" da bandeira virada.. assumindo a culpa de tal "incidente", e quiçá, ficando assim uma espécie de herói.. )
Uma coisa está certa. O telhado do local onde a dita bandeira foi hasteada, na Praça do Município, como referia uma pessoa amiga, estava pejada de atiradores especiais.  
Pela primeira vez na história da república, em mais de cem anos, a residência oficial da presidência da república  ficou fechada, alegando motivos de "segurança".  
No início da segunda semana, coincidentemente na mesma altura em que se convocava com toda a força o 15 de Setembro, e dentro de um dia os restantes eventos (Conselho de Estado a 21, e a do dia 29 com a CGTP), lia-se em alguns "sítios" o significado duma bandeira ao contrário.  Pode tudo até ser coincidência, mas a verdade é que são coincidências a mais, e medos a mais.  
No dia 1 de Outubro (segunda-feira) o Presidente da República recebia os quatro, da chefia máxima das forças armadas..  Estes senhores por seu turno, tinham sido convocados com carácter de "urgência", com pouquíssimos dias de antecedência,  logo no dia a seguir ao dito Concelho de Estado.  

Cheguei a considerar a possibilidade de, entre outras coisas, estar prestes a rebentar o tal anunciado conflito com o Irão (coisa que evidentemente arrepia), ou devido a algum receio em Belém de se perder o apoio das autoridades policiais que se anunciavam estar com a CGTP e restantes que se manifestavam no dia 29 (Sábado), estando por isso possivelmente a estar a ser contemplado alguma "lei marcial".. Enfim.  
Como sei que sempre tive, e tenho, o defeito de ter uma imaginação forte, vou dizer que é tudo delírio.  No entanto os "incidentes" seguem.  

No dia 1 de Outubro, o dia da tal reunião, li um desabafo do género "não se brinca com os símbolos e os heróis do 5 de Outubro, da República, e, 
 o nosso último feriado dia da República foi o que foi.. 
Houve inclusive detidos vários que aleatoriamente foram apanhados da população que estava reunida frente a São Bento neste nosso último Dia da República como feriado, pessoas que ainda não sei se têm representação legal, embora tenha visto advogados colocarem nas redes sociais os seus contactos para lhes auxiliar.  Segue já agora uma que vi, para o caso de algum familiar dos mesmos o querer apontar - li nas páginas de duas pessoas amigas: "Os detidos em AR.5.O que precisarem de assistência, podem ligar para o 917466324, que farei o que puder. @Isabel Duarte - (Advogada) 

Voltando ao PS e o seu silêncio ensurdecedor, um silêncio não menos criminoso que os actos do elenco que actualmente nos governa (PSD/CDS).  Nenhum destes ilustres partidos pelos vistos deseja ajudar seu pobre povo..  

(Conseguem assim ser tão ou mais nojentos que os desgraçados que actualmente  governam)    

Digo mais, vai uma aposta que tudo farão para fazer de conta o tempo que baste, para colocarem outro na frente do PS, e depois, sabe-se lá com que desculpa, só nessa altura provocarem eleições..   Tudo em prole do ram-ram do costume, com a finalidade de perpetuar um sistema podre .  E nos "entretantos", enquanto o tempo passa, votam-nos à maior miséria e fome, sem pudor.  


A ver vamos.. pois. 


Temo que vai haver grande falta de petróleo para se fazer  vaselina que chegue.. 
 É muito o amor, muito.. ui ui..




(o que vale é eu estar apaixonada, e este artigo sair assim mais ''fofinho'', se não....)


Saturday, 6 October 2012

Longitude Zero Menos 4 - Duetos da Sé





Concerto - Guida Costa (voz e trombone de varas), Carlos Azevedo (piano) - dia 29 de Novembro

"Longitude Zero Menos Quatro" é um projecto apresentado em duo. Cito o seguinte artigo publicado aquionde se pode ler a descrição feita pelos próprios músicos e onde se tem acesso, através de uma ligação, a alguns dados biográficos sobre os mesmos :

" Escrito e improvisado, estendendo desde temas originais de cariz erudito e/ou
…de jazz contemporâneo europeu de autoria de Carlos Azevedo, até ‘standards’ de jazz (Monk, Beirach, Mingus, entre outros), o repertório escolhido espelha os diversificados passados musicais de ambos.
Será uma actuação de um duo inspirado, enriquecido pela referida experiência musical dos seus elementos. em concerto informal, onde a distância entre o público e o palco se torna inexistente, onde se pode sentir a cumplicidade entre os três, os dois músicos, e a assistência. "






















fotografia de Carlos Azevedo por miguel valle de figueiredo ©
 fotografia de Guida Costa por Alice Valente Alves ©
  




Para quem não tenha assistido ao último espectáculo
(Há coisas novas mas, ao carregar no 'link' , terão acesso à lista que contém na sua essência, aquilo que será o repertório)








Estas próximas semanas irei estar, (entre outras coisas) com ensaios, e por isso irei estar um pouco ausente.. 

Espero que o 'programa' sugerido seja do vosso agrado, e..









Desejo a todos saúde e alegria.

Bem hajam








Vou fazer um pequeno intervalo de internet, mas hei-de regressar.























 (as duas fotografias acima foram tiradas durante o espectáculo de junho passado,
por Nieves Ortega Rodriguez , e Isabel Victor. Cartaz de G. Almeida)